TAIOBA INDICA: Conheça Alguns Clássicos da Música Brasileira

TAIOBA INDICA: Conheça Alguns Clássicos da Música Brasileira

Vinil não é apenas um formato de mídia, é uma jornada. E não existe melhor jeito de embarcar nessa do que com alguns mestres atemporais da música brasileira? Então, coloque a agulha no disco, aumente o volume e prepare-se para mergulhar na rica tapeçaria de sons brasileiros com a Taioba.


Moacir Santos: Coisas (1964)


Dentro do samba existe um grande casamento com jazz, e Moacir Santos pode ser guia definitivo nessa exploração musical. "Coisas", lançado em 1964, é um caleidoscópio de bossa nova infundido com influências do jazz e um toque de psicodelia.


Santos era um estudioso de música clássica e se inspirou no sistema de numeração de opus da música clássica para nomear suas composições. No entanto, como suas obras se enquadram no âmbito da música popular, ele decidiu identificar suas criações como "coisas". Assim, cada uma das "coisas" é numerada de 1 a 10 na tracklist,  sem necessariamente seguir uma ordem definida.


"Coisa nº 10" é uma das faixas mais experimentais do álbum. A música é marcada por um ritmo rápido e um som dissonante que evoca o jazz e a música clássica.


O álbum é um marco na história da música popular brasileira, pois representa uma ruptura com os padrões tradicionais do samba e abraça o espírito experimental e inovador deste músico genial.


Gal Costa: Gal (1969)


Se você está procurando por uma explosão de criatividade, vai achar no álbum autointitulado de Gal Costa, publicado 1969. Com sua icônica capa inspirada em Andy Warhol e ousadas explorações musicais, "Gal" rompeu barreiras e redefiniu a música pop brasileira. 


O álbum é considerado um dos trabalhos mais experimentais e psicodélicos de Gal, misturando bossa nova, samba e rock. Os vocais são poderosos e expressivos, e ela frequentemente canta em falsete.


As letras abordam diversos temas, incluindo amor e política. Por exemplo, uma das faixas mais icônicas do álbum, "Meu nome é Gal", escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos, é uma homenagem à cantora e aborda a questão do preconceito e do racismo nas relações.


O álbum é frequentemente chamado de "Cinema Olympia" devido à sua faixa de abertura. O título se refere ao Cinema Olympia, uma sala de cinema no Rio de Janeiro conhecida por suas exibições de filmes de vanguarda.


Cartola: Cartola (1974)


Ouvir Cartola é como dar um passo no coração do Rio, e sua estreia autointitulada, "Cartola", lançada em 1974, é uma super aula de samba. O álbum é considerado um clássico do gênero e apresenta alguns dos maiores sucessos do cantor, como "Acontece", "Disfarça e Chora", "Alvorada" e "O Sol Nascerá". 


As músicas são marcadas por letras poéticas e melodias inesquecíveis que retratam a vida e a cultura do Rio de Janeiro. Por exemplo, "Tive Sim" é uma canção sobre a saudade de um amor perdido, e a letra menciona lugares emblemáticos do Rio, como o Largo do Machado. Já "O Sol Nascerá" é uma canção de fé sobre a esperança de um mundo melhor, e a letra também menciona o Cristo Redentor, um dos símbolos mais importantes da cidade.


“Cartola” é essencial para qualquer fã do samba e da cultura carioca. O álbum é um registro vital do trabalho de um dos maiores compositores da música brasileira.


João Gilberto: Amoroso (1977)


João Gilberto, o próprio arquiteto da bossa nova, lançou "Amoroso" em 1977 como uma serenada intimista, e rapidamente se tornou uma das obras mais importantes de sua carreira.


Os vocais sussurrados de João e os arranjos minimalistas da guitarra trazem um charme melancólico a clássicos do jazz como "Bésame Mucho", "Estate" e "S Wonderful". Além disso, hits da bossa nova como "Triste" e "Zingaro", ambos escritos por outra lenda, Tom Jobim, ganham novas interpretações na voz suave do baiano.


A dança característica do violão de João Gilberto em meio a um arranjo orquestral vibrante proporciona em “Amoroso” uma experiência única de bossa nova. 


A orquestração do álbum, nem bombástica nem contida, rendeu uma merecida indicação ao Grammy de Melhor Performance Vocal de Jazz em 1978.


Taioba: A sua porta de entrada para a música brasileira!


Estas cinco Recomendações da Taioba são apenas uma amostra dos tesouros que existem no mundo dos clássicos brasileiros. Cada artista e álbum é um portal para um universo único à espera de ser descoberto. Então, mergulhe, explore e deixe a música guiá-lo!


E lembre-se, a Taioba é a sua parada exclusiva para tudo relacionado ao vinil brasileiro! Cuidamos da curadoria com uma seleção meticulosamente escolhida de edições limitadas e prensagens clássicas, garantindo que você experimente a magia da música brasileira em sua forma mais pura.


Navegue em nosso catálogo e se joga na hora construir sua coleção de vinis brasileiros!

Voltar para o blog